Filiado e filiada ao Sindypsi-PR: Muito obrigado!

0
384

11297899_879512398780630_1873840360_n

Agradecemos a todos e todas que contribuíram com as lutas e as mobilizações do Sindicato dos Psicólogos do Paraná no último ano. Os anos de 2014 e 2015 ficarão na história da Psicologia brasileira como momentos de intensa união e solidariedade entre os psicólogos.

Confira as principais ações do Sindypsi PR no ano que passou!

VETO AO PL DAS 30 HORAS MOSTRA QUE PRECISAMOS INTENSIFICAR AS LUTAS

Foto 2 - 30h

O ano de 2014 foi intenso para a categoria dos psicólogos. O Projeto de Lei nº 3.338/08, conhecido como o PL das 30 horas, chegou à fase final de tramitação e mobilizou a categoria por sua aprovação. Afinal, todos os trabalhadores sentem na pele a exaustão de cumprir jornada de trabalho semanal de 40 horas ou mais. Ciente da importância dessa conquista, o Sindicato dos Psicólogos do Paraná se empenhou fortemente em uma campanha pela diminuição da nossa jornada de trabalho.

No Paraná, realizamos mesas redondas e debates em universidades, locais de trabalho e em cidades do interior. Em Curitiba, realizamos manifestações de rua dialogaram com a população sobre as nossas condições de trabalho, uma delas realizadas em 27 de agosto, Dia do Psicólogo.

Virtualmente, o Sindypsi PR lançou a campanha Psicologia: 30 horas JÁ, responsável por atualizar os psicólogos sobre a tramitação do projeto e pressionar publicamente os parlamentares a reduzirem a nossa jornada de trabalho. A página se tornou referência nacional da luta pelas 30 horas.

As equipe do Sindypsi PR, do Conselho Regional de Psicologia do Paraná (CRP-PR) e da Federação Nacional dos Psicólogos (Fenapsi) compareceram a Brasília em momentos importantes da tramitação do projeto. Em novembro e em março, organizamos a ida de ônibus para participar de manifestações pela aprovação do PL 3.338/08. Já em março, a equipe do Sindypsi PR foi pressionar pessoalmente os deputados e senadores que decidiam pela manutenção ou não do veto do governo Dilma Rousseff (PT) ao nosso projeto. Visitamos gabinete por gabinete para exercer pressão direta sobre os parlamentares.

Infelizmente, o veto foi mantido, mas o trabalho não parou por aí. O Sindypsi PR deu início a uma campanha no Facebook para publicizar os deputados e as deputadas que votaram contra os psicólogos. Centenas de e-mails foram enviadas ao Congresso Nacional expressando nosso descontentamento com a conduta dos deputados. Avaliamos que este é um instrumento válido para mostrar que a categoria está mobilizada.

Agora, a proposta de reduzir a jornada de trabalho dos psicólogos brasileiros volta a tramitar na Câmara dos Deputados por meio do PL 769/2015. O Sindypsi PR está em articulação com as entidades representativas da Psicologia para retormarmos a luta nacional pela jornada de 30 horas. Por enquanto, estamos articulando a diminuição da jornada de trabalho dos psicólogos em cada instituição.

SÓ A LUTA MUDA A VIDA!

SINDYPSI PR NA LUTA AO LADO DOS PSICÓLOGOS

PISO SALARIAL PARA OS PSICÓLOGOS PARANAENSES

 Foto 1 - PISO SALARIAL

Entregamos à Casa Civil do Governo do Paraná a proposta de instituir um piso salarial regional para os psicólogos do estado. A medida busca evitar que a categoria seja obrigada a se submeter a salários baixos e incompatíveis com as atividades desempenhadas. É mais um passo em direção à valorização da nossa profissão.

A proposta se baseia na Lei nº 6702 de 2014 do estado do Rio de Janeiro, que prevê uma remuneração mínima para os trabalhadores de acordo com suas áreas de atuação. O salário mínimo previsto para os psicólogos fluminenses é de R$2.231,86. A Casa Civil do Governo encaminhou a sugestão à Superintendência Regional do Trabalho e Emprego, que se comprometeu a formar um grupo de estudo para avaliá-la. Porém, sabemos que somente a luta dos trabalhadores da Psicologia garantirá mais essa conquista à nossa categoria.

Os anos de 2015 e 2016 serão de intensa mobilização para garantirmos mais esse avanço para os psicólogos e psicólogas do Paraná.

JORNADA DE 30 HORAS PARA OS PSICÓLOGOS DA FEAES

Foto 1 - FEAES

Os psicólogos da Fundação Estatal de Atenção Especializada em Saúde (FEAES) estão mobilizados por melhores condições de trabalho. Desde que a Fundação passou a gerenciar os serviços de saúde de Curitiba, os funcionários estão sofrendo com a falta de isonomia. Isso porque um Projeto de Lei da Prefeitura de Curitiba regulamentou a jornada de 30 horas semanais para diversas categorias de servidores públicos da saúde, menos para os trabalhadores da FEAES.

Diante da negativa da Fundação em adotar a jornada de trabalho de 30 horas, o Sindypsi PR recorreu à Superintendência Regional do Trabalho e Emprego do Paraná para abrir negociação. O Sindicato também levou para negociação um ponto do regulamento da FEAES que imita a jornada de trabalho de alguns psicólogos a 36 horas semanais, diferente da jornada exercida de 40 horas. A ação ainda está em tramitação e, caso o Sindypsi PR vença, a Fundação terá de ressarcir os psicólogos pelas horas excedentes trabalhadas.

A jornada de trabalho não é a única pauta da categoria. Em casos mais extremos, a falta de infraestrutura obriga alguns psicólogos contratados pela Fundação a usar o carro pessoal para realizar atendimentos. A pressão do Sindypsi PR já fez com que a FEAES organizasse uma comissão de visitas aos locais de trabalho com a presença de trabalhadores da Fundação.

Estamos na luta por condições de trabalho mais dignas para os psicólogos de Curitiba!

ATUAÇÃO NO COLETIVO INTERSINDICAL DA SANEPAR

Foto 1 - SANEPAR

O Sindypsi PR integra o Coletivo Intersindical da Sanepar, que se reuniu várias vezes nos últimos meses para debater a situação das categorias de trabalhadores que compõem a empresa. As propostas da gestão da Sanepar foram insatisfatórias às categorias, mas essa articulação melhorou o diálogo entre os sindicatos. Ao mesmo tempo em que gasta milhões de reais em cargos comissioandos, a Sanepar se nega a oferecer respostas concretas aos trabalhadores. O Sindypsi PR está na luta contra essa injustiça.

Para além das condições de trabalho, o Sindypsi PR e outros 14 sindicados publicaram uma nota de repúdio e o pedido de exoneração do presidente do Conselho Administrativo da empresa, Mauro Ricardo Machado, que é também secretário da Fazenda do Governo do Paraná. Mauro propôs a venda de parte das ações da Copel e da Sanepar para salvar o caixa do estado, o que, em outras palavras, significa entregar o controle das empresas à iniciativa privada. Somos contrários a qualquer medida que proponha a privatização da Sanepar e da Copel.

O Sindypsi PR mantém a mobilização em conjunto com as demais categorias que trabalham conosco.

Sem comentários

Deixe uma resposta

*